terça-feira, 7 de outubro de 2008

Cidade limpa, consciência nem tanto

O rapaz aí de cima têm motivos de sobra para sorrir, acaba de ser eleito o vereador mais votado da cidade de São Paulo. Já o paulistano...

Se nem o vereador mais votado da cidade sente-se na obrigação de cumprir a lei e mandar sua militância retirar a propaganda irregular das ruas, quem há de retirar?

A prefeitura, claro. Com o dinheiro dos nossos impostos, que poderia ser usado para algo mais útil como, por exemplo, a reforma deste ponto de ônibus da Av. Pompéia, que encontra-se em estado lastimável.

Agora, uma pergunta que não quer calar: No ato da retirada da placa, referido vereador será multado em R$ 10.000,00 como estabelece a lei "Cidade Limpa"?
Isso eu não sei responder, mas o k ssab. Ou não sabe?

E os santinhos espalhados pelas ruas da cidade? A foto abaixo foi batida nesta terça-feira 07/10.
Domingo a prefeitura deveria ter mandado todas as suas equipes de limpeza fazer plantão nas ruas próximas aos postos de votação. Como isso não foi feito e na segunda choveu a cântaros e outros tântaros, não fica difícil imaginar a quantidade destes papéis que correram para os bueiros de São Paulo...

Notem que um dos candidatos de consciência limpa é do PV!!!, justamente o partido que deveria estar mais preocupado com a poluição e o meio ambiente na cidade.

Consciência? Político tem isso? Ah, isso eu não sei responder, mas o k ssab. Ou não sabe?

2 comentários:

Fernanda ಌ disse...

Paulo, é isso mesmo, o PV lotou as ruas de Sampa de santinhos e os mesmos ficaram grudados pelo chão, podendo causar além de enchentes, escorregões homéricos.

O Chalita escreve livros enquanto ganha salário público, vende os livros e embolsa a grana, se utiliza do cargo para benefício próprio.

Não que precise, porque seu pai era rico e doou dezenas de casas aos pobres lá em Cachoeira Paulista - mesmo sem ser político.

Quanto ao Chalita, não consigo me situar se é mais advogado ou mais filósofo. Quando a filosofia lhe convém, usa. Quando não, vira advogado, daqueles bem raposas.O que me espanta é que todo educador afetivo aprende primeiro a educação financeira, para depois sair abraçando o povo por aí.

Basta, escrevo demais.

André Luiz disse...

Ih...Paulo! Não sabe nada! E o que nos resta? Ir chutando os "santinhos!" Cruz credo!

André Dia(s,z)?